terça-feira, 22 de agosto de 2017

TRÍVIOLETRA (TC/TS): CENÁRIO SETE AUTORES

TRÍVIOLETRA (TC): CENÁRIO

C ontrassenso // LUA, IMENSO PEDREGULHO // sem incenso ou fantasia. (1)
E scada caracol // face oculta // subida para o sonho (4)
N o céu...pálida // pedra nua // atua nos segredos da vida (3)
Á vidos por imagens // imaginário em ação // um corte! (6)
R i alva e bela // nas frestas da janela // derramando prata (5)
I maginação fértil // Lua quatro fases // Estrela é o duplo.(2)
O peso, dá pra sentir // quando cai do alto // e vira poesia. (7)

Marco Bastos 1
João P.C.Furtado 2
Celinha Viol 3
Maria Inez Alves 4
Marcia Portella 5
Lourdes Ramos 6
Dirce Carneiro 7

TRÍVIOLETRA (TS): CENÁRIO

C ontrassenso // LUA, IMENSO PEDREGULHO // sem incenso ou fantasia. (1)
I maginação fértil // Lua quatro fases // Estrela é o duplo.(2)
N o céu...pálida // pedra nua // atua nos segredos da vida (3)
E scada caracol // face oculta // subida para o sonho (4)
R i alva e bela // nas frestas da janela // derramando prata (5)
Á vidos por imagens // imaginário em ação // um corte! (6)
O peso, dá pra sentir // quando cai do alto // e vira poesia. (7)

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

TRÍVIOLETRA TC/TS: JANELA - VÁRIOS AUTORES

TRÍVIOLETRA TC: JANELA

uega la noche// paso a la luz // rinde al aire (2) 
Aurora semi-desperta // lânguidos sons // pairam_em_ar (6)
N ew leaves and flowers / fiery kisses on my window / golden day (4)
ntreaberta aragem // atrás do linho bordado // olhos tímidos. (5)
inda de azul // à ventana sonha // des_espera... E borda ao luar.(3)
A berta ao vento // RENDAS E LINHOS //  indiscretos olhares! (1)

Chantal Fournet - 1 
Rafael Mérida - 2
João Furtado - 3, 5  
Kapardely Eftichia - 4
Laís Müller - 6 

TRÍVIOLETRA TS: JANELA

A berta ao vento // RENDAS E LINHOS //  indiscretos olhares! (1)
uega la noche// paso a la luz // rinde al aire (2)
inda de azul // à ventana sonha // des_espera... E borda ao luar.(3)
ew leaves and flowers / fiery kisses on my window / golden day (4)
ntreaberta aragem // atrás do linho bordado // olhos tímidos. (5)
Aurora semi-desperta // lânguidos sons // pairam_em_ar (6)

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

TRÍVIOLETRA TC/TS : LARES - CINCO AUTORES

TRÍVIOLETRA TC : LARES

L ouva deus // ao calor sol // no aconchego das águas (3)
A quela mulher // aquele amor // doce lar terna vovó... (4)
R ente a estrada // FOGÃO DE LENHA // fumaça nos ares, nuvens de amor (1)
E nsolarado refúgio // carinhos e conselhos // cama macia (5)
S onhar, sonhares, pendor // luz, luares // bastidor de ponto-cruz (2)


Celinha Viol 1
Marco Bastos 2
Marcia Portella 3
João P.C. Furtado 4
Maria Inez Alves (5)

RÍVIOLETRA TS : LARES

R ente a estrada // FOGÃO DE LENHA // fumaça nos ares, nuvens de amor (1)
S onhar, sonhares, pendor // luz, luares // bastidor de ponto-cruz (2)
L ouva deus // ao calor sol // no aconchego das águas (3)
A quela mulher // aquele amor // doce lar terna vovó... (4)
E nsolarado refúgio // carinhos e conselhos // cama macia (5)

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

POEMA TRÍVIOLETRA TI & TS: CORAGEM

TRÍVIOLETRA TI CORAGEM

Cultivar a paz // ter coragem // Não é medo é coragem  (7)
Ombro amigo // sempre presente // altruísta desejado (6)
Reduzida idade // camicase // falso ideal (3)
Ameaça e fria guerra // sem coragem // ataque mortal (2)
Grande aparato // MEDO MOSTRA  // show de arsenal (1)
Esta barba é juba // homem forte leão // pura cotação (4)
Mulher  mãe // valente missão // nobre e heroica (5)


TRÍVIOLETRA TI CORAGEM

Grande aparato // MEDO MOSTRA  // show de arsenal (1)
Ameaça e fria guerra // sem coragem // ataque mortal (2)
Reduzida idade // camicase // falso ideal (3)
Esta barba é juba // homem forte leão // pura cotação (4)
Mulher  mãe // valente missão // nobre e heroica (5)
Ombro amigo // sempre presente // altruísta desejado (6)
Cultivar a paz // ter coragem // Não é medo é coragem  (7)

João Pereira Correia Furtado
Praia, 03 agosto de 2017

segunda-feira, 31 de julho de 2017

TRÍVIOLETRA TC/TS : GAIVOTA - TRES AUTORES

TRÍVIOLETRA TC : GAIVOTA

G arboso voo rasante // distante // destino infinito (3)
A sa aberta // tanto céu e mar // sentido exato de liberdade (5)
I gnea manhã, sol e brasas // mergulha qual fagulha // fechando asas (7)
V oa a gaivota // ESPELHO D'ÁGUA ESPELHA // o eterno vai e vem (1)
O ndula ao sabor do vento // aprecia ondas // caça carapaus.(4)
T em gaivota // mar farta pesca // tempestade voa pra a terra.(2)
A limentação ansiada // ameno voo // no bico a sardinha!(6) 


Celinha Viol 1, 3, 5
João P.C. Furtado 2, 4, 6
Marco Bastos 7

TRÍVIOLETRA TS : GAIVOTA
V oa a gaivota // ESPELHO D'ÁGUA ESPELHA // o eterno vai e vem (1)
T em gaivota // mar farta pesca // tempestade voa pra a terra.(2)
G arboso voo rasante // distante // destino infinito (3)
O ndula ao sabor do vento // aprecia ondas // caça carapaus.(4)
A sa aberta // tanto céu e mar // sentido exato de liberdade (5)
A limentação ansiada // ameno voo // no bico a sardinha!(6)
I gnea manhã, sol e brasas // mergulha qual fagulha // fechando asas (7)

quarta-feira, 26 de julho de 2017

NO SILÊNCIO




Prefiro falar com as pedras
Sempre que possível  algumas letras
não arrisco a ser poeta
E viver naquela dieta
De fazer poema e poema e poema
Sem sentido e sem algum tema
Apenas para ter problema
Quero ficar no meu silêncio
Vendo a gatinha no seu cio
Ou sozinho falar feito um néscio
Que estar no mundo e não o compreender...

Praia, 26 de julho de 2017
João Furtado

quinta-feira, 20 de julho de 2017

TRÍVIOLETRA (TC) (TS): SURURU Vários autores

TRÍVIOLETRA (TC): SURURU

S ururu // - URUTU PICA URUBU // - brucutu! vai pro buraco (1)
U rucubaca // tabefe e peteleco // tem blefe, tem boneco (3)
R ola confusão armada // língua venenosa // tropeça no laço (2)
U mbrosa noite // serpente faminta // sem antiofídico (5)
R odeia o cheiro // refeição mórbida // urutu ataque mortal. (4)
U rubu-rei, que sina, // no sus // vacina só tem pra jaburu (6)


Marco Bastos 1, 3, 6
Celinha Viol 2
João P. C. Furtado 4
Marcia Portella 5

TRÍVIOLETRA (TS): SURURU
S ururu // - URUTU PICA URUBU // - brucutu! vai pro buraco (1)
R ola confusão armada // língua venenosa // tropeça no laço (2)
U rucubaca // tabefe e peteleco // tem blefe, tem boneco (3)
R odeia o cheiro // refeição mórbida // urutu ataque mortal. (4)
U mbrosa noite // serpente faminta // sem antiofídico (5)
U rubu-rei, que sina, // no sus // vacina só tem pra jaburu (6)