quarta-feira, 2 de março de 2011

PARA PARDAL NO ORIENTE

http://www.poetasdelmundo.com/verInfo_africa.asp?ID=4541





Querido e amigo Pardal distante

Achas que existe do poder a demência

E esta doença assola a África exuberante

Que faz seus presidentes perderem a clemência?



Vês na Líbia o que faz Khadafi, o Muamar

Que julga ter amor do povo até a morte

E tão grande é a vontade de amar

Que pede a ele para lhe dar tal sorte!



A África conheceu muitos doentes

Este é apenas o último não o único

Na ânsia de serem vitalícios presidentes

Julgam que o povo apenas merece o penico!



Não é que seja só na África, meu continente

Aqui e ali existe um Hitler no poder colocado

Que embriagado com a força se torna demente

E em terrível deus da maldade se torna julgado!



Se eu parar e contar quantos são os Napoleões

Olha que me perco na quantidade e falho a memória

São tantos os que venderam por poder os corações

Só pode ser doença, não é decerto simples história!



Como pode estar são um homem que se sente traído

Depois de mandar bombardear indefesa população

E em nome de Al-qaeda, inimigo comum, distraído

Julga-se vítima e a sorrir pede ajuda e contemplação?







João Furtado



Praia, 03 de Março de 2011


http://www.poetasdelmundo.com/verInfo_africa.asp?ID=4541

1 comentário:

Flor de Esperança disse...

Parabéns amigo lindo seu blog,
primorosos textos amei te ler
um grande abraço
Flor de Esperança